"Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo".
José Ortega y Gasset

terça-feira, 31 de março de 2015

Pesquisa investiga História Ambiental na História Antiga do Egito

A estudante de História da FURB e bolsista do GPHAVI, Kahina Thirsa Hostin desenvolverá projeto de sua autoria para analisar as interações sociedade natureza na História Antiga. A pesquisa de Iniciação Científica Egito Antigo e o Rio Nilo: um estudo de História Ambiental sobre as interações sociedade e natureza, aprovada pelo PIPe 2015 (Art. 170 Estado de Santa Catarina) tem por objetivo estudar em representações literárias, religiosas e historiográficas interações humanas da sociedade do Antigo Egito com seu principal recurso hídrico, o Rio Nilo.
O Nilo, tido como o mais antigo rio do mundo em termos de sustentabilidade humana, viu o surgimento, em suas margens, de uma das mais fascinantes civilizações da antiguidade, o Egito. Muitas interações dessa sociedade com a natureza proporcionou um conhecimento ambiental riquíssimo e que ainda hoje usamos em nosso dia a dia. A pesquisa será realizada em parceria com o Laboratório Blumenauense de Estudos Antigos e Medievais - LABEAM da FURB.



segunda-feira, 30 de março de 2015

Bruno Latour fala de Gaia e Antropoceno


A conferência de Latour What does it mean to obey “the Laws of Gaia” in trying to keep up with the old imperative: “Natura non nisi parendo vincitur”? assim como a de Pádua ocorreram no Colóquio Internacional Os Mil Nomes de Gaia: Do Antropoceno à Idade da Terra, realizado entre 15 e 19 de setembro de 2014 na Casa Rui Barbosa, no Rio de Janeiro. Na página do evento além dos vídeos dos conferencistas, os interessados sobre a temática tem acesso aos textos na integra. Para conhecer o que foi esse evento acesse aqui.

domingo, 29 de março de 2015

sexta-feira, 27 de março de 2015

Bem vindos ao Antropoceno


Globaia é um projeto que pretende produzir material gráfico sobre as mudanças globais que hoje vivemos e que caracterizam um novo período ou momento na História da Terra, o Antropoceno. O objetivo do projeto é mesclar Ciência e Arte para conscientizar os cidadãos para que entendam a situação e busquem novas tomadas de decisões em busca de caminhos para a sustentabilidade. Possuem um banco de dados, mapas, videos e animações apresentando: O Antropoceno (as mudanças globais causadas pela sociedade); A Ecosfera (ou sistema da Terra); e a Big História (a evolução cósmica dos últimos 13,8 bilhões de anos). Para ter acesso ao material clique aqui.
Na História Ambiental o antropoceno já vem a algumas décadas sendo usado por alguns pesquisadores. Recentemente o historiador José Augusto Pádua publicou uma matéria no O Globo tratando de alertar sobre a necessidade de mudanças na forma de viver e pensar a política no Brasil nesse momento de grave risco a nossa espécie. Veja a matéria aqui. De certo, o modelo de vida calcado pelo capitalismo (uso irresponsável dos elementos - ou recursos - da natureza) para facilitar a vida, exaure de forma imensurável os ciclos ecológicos do planeta e passaremos a enfrentar mudanças de Gaia nunca vistas. Ha uma gama de materiais sobre História, Sociologia, Antropologia já com essa abordagem denominada Antropoceno. Assim como inúmeros documentários a respeito.

quinta-feira, 26 de março de 2015

GPHAVI realizará em 2015 reuniões de Estudos de História Ambiental

Tendo como base as experiências de outros anos, em 2015 retornarão as reuniões quinzenais dedicadas a estudos voltados para a História Ambiental. O objetivo é disponibilizar aos bolsistas e aos estudantes na Universidade e comunidade em geral, um espaço de discussão de textos, videos e demais materiais sobre as relações entre sociedade e natureza. Os interessados devem participar, estando atento no blog e no mural físico do grupo onde serão expostos as datas e temas das reuniões de estudo.  No primeiro encontro dia 14/04 será debatido o artigo Abordagens sobre a História Ambiental: um guia de campo para os seus conceitos, de Verena Winiwarter. O encontro ocorrerá na sala R-109 das 14:00 até as 16:30. 


quarta-feira, 25 de março de 2015

Documentário: ACUPE Terra Quente



O documentário Acupe - Terra Quente (59 minutos) trata sobre o distrito de Acupe, no Recôncavo baiano, nome que significa “Terra Quente”, insere o espectador no cenário cultural e social do lugar, apresentando as suas mais variadas manifestações como o Nego Fugido, Mandus, Bombachos, Burrinhas, Caretas e grupos de Samba de Roda; destacam-se as tensões religiosas; o cotidiano das famílias que carecem de serviços de saúde, saneamento e educação, além das aspirações políticas. Esse cenário compõe o repertório de significação e de sentido da vida no distrito do Recôncavo Baiano. Essas histórias são mostradas a partir do registro contado pelos moradores locais. O documentário é resultado dos trabalhos da disciplina Ação Curricular em Comunidade Social –  Memória Social: Audiovisual e Identidades, entre os anos de 2011 e 2014, coordenado elo professor José Roberto Severino em suas atividades na Faculdade de Comunicação (FACOM) na Universidade Federal da Bahia - UFBA. Veja mais aqui:


Dr. Manoel Pereira Rego Teixeira dos Santos realizará palestras na FURB com a temática da História Ambiental.



terça-feira, 24 de março de 2015

Desenvolvimento local/regional na periferia do capitalismo mundializado: estudos de caso em Santa Catarina

Ocorrerá no dia 27 de março as 14:00 a conferência Desenvolvimento local/regional na periferia do capitalismo mundializado: estudos de caso em Santa Catarina, ministrada pelo Dr. Ivo Marcos Theis, professor do PPGDR da FURB. A conferencia é organizada pelo PPGDR e será realizada no Campus 1, Bloco R, sala R-301. Ivo é graduado em Ciências Econômicas, mestre em Administração e doutor em Geografia. Atua na área da Economia com enfase no Planejamento e Desenvolvimento Regional de Santa Catarina, Ciência & Tecnologia e Desenvolvimento Territorial no Brasil. Conheça mais sobre o pesquisador Ivo clicando aqui.

segunda-feira, 23 de março de 2015

2014 o ano mais quente da História. Projeção demonstra o aquecimento de 1880 até 2014.

Conforme dados divulgados pela NASA o ano de 2014 foi o mais quente da História dos registros. Projeção com a modelagem do calor na Terra é apresentada em animação pela NASA demonstrando como ocorreu o aquecimento do planeta de 1880 até 2014. Veja nos vídeos a seguir:


-Animação que apresenta o aquecimento global entre 1880 e 2014.

- Reportagem sobre os dados recordes de 2014 sobre o aquecimento global.

quarta-feira, 18 de março de 2015

A interligação entre os territórios: para pensar a História Ambiental

Quando pensamos em historiar um território temos que estar atentos as interligações e influências do que acontece em outros territórios, próximos ou longínquos. Na floresta amazônica por exemplo, além dos atores da rede local, temos a participação e total influência do que acontece no Saara na África. Um satélite da NASA conseguiu captar em três dimensões a poeira do deserto do Saara que viaja pelo Atlântico até a floresta Amazônica. Essa poeira é rica em fósforo, o que produz a uma longa duração a fertilização da floresta. Em média são depositadas na floresta 27,7 milhões de toneladas de poeira do deserto. A reportagem completa pode ser vista em http://svs.gsfc.nasa.gov/cgi-bin/details.cgi?aid=11775. Foi divulgado um vídeo com animações sobre a descoberta, veja a seguir:



Ocorre uma interdependência entre os territórios. E o que ocorre na Amazônia reflete no clima e na vida no Sul do Brasil. Nesse sentido as pesquisadoras Beate Frank e Lúcia Sevegnani (2009) apresentam no texto Interdependência ou morte: a importância da Amazônia para a regulação do clima e suas implicações nas escalas regionais e globais, como isso acontece. 

terça-feira, 17 de março de 2015

Mapa Global de precipitações de chuva e neve mostra a inter-relação entre os territórios e os fenômenos.

Através de uma parceria entre instituições que controlam o monitoramento do clima por satélites, o GPM é um sistema que gera mapas do globo de três em três horas registrando a chuva e a neve e seus deslocamentos na Terra, o que possibilita inúmeros dados de precipitação ajudando nas previsões e prevenções de catástrofes. Segundo a agencia, a "Queda de chuva e neve são partes essenciais do ciclo da água na Terra, é o que move a Terra. [...] Perto do Equador, onde o calor do Sol impulsiona evaporação, se mantém o ar úmido. É possivel ver sistemas pluviais moverem-se em um fluxo constante. Em latitudes mais altas, que não tenham sido previamente observados em 3-D com sensores de precipitação de alta resolução, enormes frentes de tempestade marcharam para o leste em toda a América do Norte e Europa, e do outro lado do Oceano Antártico que circunda a Antártica" (NASA, 2015). Para ver mais clique aqui .


quinta-feira, 12 de março de 2015

Pesquisadores e bolsistas apresentarão estudo no 7º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade.

O pesquisador Dr. Gilberto Friedenreich dos Santos apresentará no 7º Encontro Nacional da ANPPAS resultados da pesquisa sobre a rizicultura no Alto Vale do Itajaí. Com o título História Ambiental da Rizicultura em Doutor Pedrinho, o trabalho apresenta aos pesquisadores em Brasília informações coletadas na pesquisa realizada com estudantes da Educação Básica através de recursos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio do CNPq. A pesquisa ocorreu entre 2012 e 2013 e contou com a iniciação de 4 estudantes: Ana Paula de castilho, Gean Marcarini, Joyce Purim e Tainá Buzz Teve orientação de Gilberto e coordenação da Cientista Social e Mestre em Desenvolvimento Regional Ana Claudia Moser. 

terça-feira, 10 de março de 2015

O IMIGRANTE E A FLORESTA Transformações ambientais, das práticas e da produção rural nas colônias do Vale do Itajaí-SC

Ocorrerá no dia 09/04/2015 as 19:00 horas no Auditório do Boco T a conferência O IMIGRANTE E A FLORESTA: Transformações ambientais, das práticas e da produção rural nas colônias do Vale do Itajaí-SC, um estudo de História Ambiental desenvolvido pelo  Dr.Manoel Pereira Rego Teixeira dos Santos. O pesquisador Manoel possui sua formação de graduação, mestrado e doutorado em História na Universidade Federal de Santa Catarina, atuando junto ao Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental - LABIMHA, sob orientação do professor Dr.João Klug. Sua experiência na área de História passa pela História Agrária e Ambiental, atuando nos temas: imigração, paisagens, meio ambiente, vida e trabalho rural. Acesse o currículo do conferencista aqui e sua tese de doutorado.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Conferência Políticas de água e desenvolvimento regional no nordeste do Brasil

Conferência Políticas de água e desenvolvimento regional no nordeste do Brasil é tema do Seminário de Desenvolvimento Regional do PPGDR da FURB. A conferência do Dr. Cidoval Morais de Souza ocorrerá no dia 04 de março de 2015 às 18:30 no Campus 1, Bloco T, sala T-110 na FURB. O evento é uma organização do PPGDR.

Cidoval é bacharel em Comunicação Social pela Universidade Estadual da Paraíba, estudou Ciências Sociais, fez especialização em Sociologia na Universidade Federal da Paraíba e doutorou-se em Geociências pela Universidade Estadual de Campinas.
Acesse o lattes do conferencista: http://lattes.cnpq.br/0573233540937425