"Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo".
José Ortega y Gasset

sábado, 30 de novembro de 2013

Divulgação: 3° SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA AMBIENTAL E MIGRAÇÕES.

Estamos repassando o e-mail que divulga data e local do 3º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações:                                                                                                                                                                                                                                                                        Boa tarde a tod@s,                                                                  Gostaríamos de informar que foi definida a data do 3° SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA AMBIENTAL E MIGRAÇÕESO evento acontecerá em Florianópolis, na Universidade Federal de Santa Catarina, de 27 a 29 de outubro de 2014.


Em breve, maiores informações estarão disponíveis no site:


Atenciosamente,
Profa. Dra. Eunice Nodari
Pela Coordenação

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Bolsistas e pesquisadores do grupo estiveram no 3º Workshop Internacional de História do Ambiente

Realizado entre os dias 26-29 de novembro, o evento contou com a participação de pesquisadores interessados em estudos sobre as interações humanas com o ambiente. O evento é uma iniciativa do Núcleo de Estudos Ambientais do Departamento de Geografia do Centro de Ciências Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) com apoio do Mestrado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental (MPPT/UDESC), o grupo Congresso Internacional Escolar/Workshop Internacional de História Ambiental (CIE/WIHA) e a Fundação de Arte e Tecnologia (FUNDARTEC). O evento tem como temática a História Ambiental e a Educação Ambiental.


O GPHAVI foi em caravana formada pelos pesquisadores Gilberto, Martin, Vanessa (mestranda no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal - FURB), Diego, Gabriel, Francisco, Kahina e Shimene, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - FURB, (ex-bolsista do grupo). Os estudantes bolsistas de iniciação científica Gabriel e Francisco e a pesquisadora Vanessa apresentaram trabalhos na modalidade de pôster:

Gabriel apresentou o trabalho A grande odisséia alasquiana: a influência de Thoreau em Cristopher Mccandless num contato mais verdadeiro com a natureza. Este estudo é uma iniciativa de Gabriel que durante a realização das pesquisas e discussões com os pesquisadores interessou-se pelos autores e pela temática e desenvolveu um ensaio para ser apresentado no evento.
Francisco apresentou o trabalho Pressões, ameaças e extinção: um estudo das memórias das caçadas no Parque Nacional Serra do Itajaí - SC. O estudo partiu do interesse de Francisco e de Vanessa e foi desenvolvido paralelamente com a Iniciação Científica que trata de investigar a História das Serrarias no parque.

A pesquisadora Vanessa apresentou o estudo Migrações humanas e invasões biológicas: a Tithonia diversifolia no Vale do Itajaí. O estudo faz parte do levantamento da pesuqisadora em seu mestrado em Engenharia Florestal e apresenta dados importantes sobre a espécie e seu processo invasor no Vale do Itajaí. 


Na modalidade de apresentação oral, Diego e Martin fizeram explicações sobre suas pesquisas:


Diego apresentou a pesquisa História e memória ambiental da exploração e produção do óleo de sassafrás no alto vale do Itajaí. O estudo foi desenvolvido na Iniciação Científica no grupo com recursos do CNPq. 

O pesquisador Martin apresentou o estudo Breve história do ambiente no Parque Nacional da Serra do Itajaí em Apiúna, Presidente Nereu, Vidal Ramos e Botuverá -Vale do Itajaí - SC. O estudo foi desenvolvido através da pesquisa História Ambiental do Parque Nacional da Serra do Itajaí: estudo da relação sociedade e natureza das comunidades no entorno do parque nos municípios de Apiúna, Presidente Nereu, Vidal Ramos e Botuverá – financiado pela FAPESC (Chamada Pública Universal 07/2009). 

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

LABGEO-FURB disponibiliza portal de dados.

O Portal de Distribuição e Visualização de Dados do LABGEO foi desenvolvido pelo Laboratório de Geoprocessamento da FURB - LABGEO, com parceria do Laboratório de Computação Científica - LCC e Laboratório de Monitoramento de Proteção Florestal - LAMPF. O objetivo do portal é proporcionar a comunidade dados e visualização dos projetos dos laboratórios e parceiros.  


Entre os projetos disponibilizados no portal gostariamos de destacar a  Carta Enchente de Blumenau, que disponibiliza dados cartográficos sobre os pontos de inundação da cidade de Blumenau.
Para visualizar os projetos adicionados acesse: http://www.labgeo.furb.br.

domingo, 24 de novembro de 2013

Ataque de “bugres” à uma serraria da colônia Blumenau relatado por um colono: os nativos estavam atacando ou defendendo suas terras?


Gabriel Pierri de Souza; Francisco José Matias; Martin Stabel Garrote; Gilberto Friedenreich dos Santos
Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí – GPHAVI 
Departamento de História e Geografia - Universidade Regional de Blumenau – FURB


Guerreiros Xokleng/Laklano séc XIX


Na tradicional história de Blumenau o seu fundador e os demais colonos são vistos pelo senso comum e pela literatura local como heróis, que enfrentaram diversas dificuldades, uma dessas seria a difícil vivência da colônia em contraste com os nativos que se sentiam ameaçados pela grande exploração dos mesmos, causando enfrentamentos entre ambos, muitas vezes violentos com resultados fatais. Sendo assim, o presente trabalho trata de analisar o relato feito por um colono em forma de  correspondência, sobre os ataques dos nativos às propriedades locais da colônia de Blumenau. Trazendo novas informações e discussões sobre a relação entre explorador e nativo. Um dos problemas enfrentados em tal pesquisa foi a falta de relatos de percepções de enfrentamentos territoriais pelo lado dos nativos.


Esta pesquisa é uma parcela do projeto de pesquisa, do Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí (GPHAVI), história e memória ambiental das antigas e atuais serrarias do território do Parque Nacional da Serra do Itajaí. Onde foram levantados documentos históricos, relatórios da colônia Blumenau, cartas, entrevistas orais, notícias de jornais entre outras fontes. Entre estes documentos levantados, uma carta relatando ataque de “índios” aos colonos, chamou a atenção dos pesquisadores abrindo espaço para estudos e discussões publicados resumidamente neste trabalho. Bloch nos ensina que “vamos buscar, dando-lhes, onde for necessário, os matizes de novas tintas, os elementos que nos servem para a reconstituição do passado” (Bloch, 1997, p.43). Utilizando  como  embasamento teórico a História Ambienta, que busca compreender as relações entre ações humanas e a natureza, ou seja, trata-se aqui de conflitos entre duas etnias distintas pelos recurso e território natural.
Bugreiros e suas armas



Em uma carta enviada por seu Julius, à Hermann Blumenau seu irmão, é relatado um ataque de “bugres” a uma residência localizada próxima a serraria Sallentien e Gartner (não se sabe a localização exata). O autor da carta relata que os colonos não levavam a sério os pequenos ataques dos nativos que são chamados de “bugres”, [...] “Antes aqui riam todos a cerca dos bugres, como aqui são chamados, porque raramente apareciam, e quando isto acontecia, era para roubar, não para matar.” (JULIUS, 1855, p.1). É notável que alguns colonos não temiam os nativos, entretanto, um acontecimento singular mudou as concepções de suas seguranças pessoais.


No dia 9 de novembro de 1855, oito ou nove nativos realizaram uma emboscada na serraria citada a cima, que resultou na morte de dois operários e um ferido, esse último era Paul Kellner, um dos 17 primeiros colonos de Blumenau. Eles estavam escavando um canal para escoar água da serraria quando foram atacados com flechas. Como segue na Figura  referente a carta:




Vale lembrar que estamos analisando o lado das “vitimas”, os colonos, e não temos o relato dos nativos, que segundo a carta iniciaram o ataque. Por este motivo, tal tipo de estudo é de grande importância para novas discussões de como era a relação entre colono e nativo. Segundo Martin Garrote em seu estudo sobre os conflitos étnicos entre colonos e índios no sul de Blumenau, é possível encontrar momento de relação pacífica entre colonos e índios. (GARROTE, 2012).

No livro de Edith Kormann, Blumenau: arte, cultura e as histórias de sua gente (1850 – 1985) é citado o acontecido entre os nativos e colonos. Segundo a autora Paul Kellner, sobrinho de Hermann Blumenau é um dos primeiros imigrantes da região, não se limitou a um simples lote colonial, adquirindo uma área maior na margem do rio Itajaí-mirim entre Itajaí e Brusque (KORMANN, 1994). Tal informação reflete a um entendimento maior da situação de Paul na época, nota-se que ele não estava simplesmente explorando e devastando o mínimo para sobreviver, mas sim estendendo sua exploração cada vez mais, ocupando o território e possivelmente prejudicando os nativos. Com isso os nativos podem ter enfrentado dificuldades para obter recursos naturais, como água e alimento, consequentemente, ao que parece mais óbvio, tiveram que começar a roubar para sobreviver, causando enfrentamentos violentos entre nativo e explorador.

Não cabe aqui julgar quem foram os “mocinhos” e os “vilões”, mas sim trazer esse tipo de informação ao meio acadêmico para que possa ser aprofundado e levado à comunidade com o intuito de tentar explicar a história de um determinado ponto, pois todo ponto de vista, é vista de um ponto. Não havia uma guerra aos colonos, mas sim ataques ou simplesmente agressões, motivadas, às vezes, pelo encontro de índios e colonos em territórios que ambos tinham interesse. Este trabalho tem o intuito de instigar os indivíduos a procurarem outros relatos e pesquisas que possam mudar suas concepções dos acontecimentos em um determinado local e período, fugindo um pouco da tradicional história do município, e consequentemente refletindo de quais seriam as relevâncias e os desafios de estudar esse tipo de documento.


Referências

BLOCH, Marc. Introdução à história. Ed: Europa-América, 1997, Pág. 289.

KORMANN, Edith. Blumenau: arte, cultura e as histórias de sua gente (1850 – 1985). Florianópolis: Paralelo 27, 1994.

GARROTE, Martin. Os conflitos étnicos entre colonos e índios no sul de Blumenau/SC: memórias. IX ANPED SUL: Seminário de pesquisa em educação da região sul 2012. Pág. 16.

JULIUS, Blumenau. Carta, 7 de dezembro de 1855, Colônia Blumenau para Hermann, Alemanha. 2 folhas. Ataque de índios.




Gabriel Pierri de Souza  é estudante de História e Bolsista de Iniciação Científica (PIPe 2013) no GPHAVI desde março deste ano. Atua na pesquisa Subsídios para a História Ambiental das antigas serrarias do Sul de Blumenau território do Parque Nacional Serra do Itajaí, que conta com a parceria do ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade .

Acesse o Lattes do autor:  http://lattes.cnpq.br/8012732213045066


Este texto foi publicano nos Anais da 7º Mostra de Ensino Pesquisa e Extensão da Universidade Regional de Blumenau (Anais).



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

ICEHO - Consórcio Internacional de Organizações de História Ambiental

O ICEHO -  Consórcio Internacional de organizações de História Ambiental tem como objetivo possibilitar a comunicação entre organizações de História Ambiental, e favorecer a troca de informações, conhecer experiências, e dialogar sobre os problemas e desafios em comum. O ICEHO é aberto a todas as organizações que tenham como foco principal os estudos sobre a interação humana com o ambiente. 

Para conhecer mais sobre o ICEHO acesse: http://www.iceho.org/

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Congreso Internacional de Historia Ambiental y Economía Ecológica

Já está disponível as informações sobre o Congresso Internacional de História Ambiental e Economia Ecológica, tendo como tema Os conflitos por ecossistemas estratégicos na América Latina e Caribe entre os séculos XIX e XX. O congresso ocorrerá  entre 21 e 23 de maio de 2015 nas dependências da Biblioteca Departamental de Vale de Cauca na cidade de Cali, Colômbia. O evento é organizado pela Sociedade de Historiadores Latino americanos e caribenhos, em parceria com a Biblioteca Jorge Garcés Borrero e a Universidade del Valle. 

Informações sobre o evento: http://adhilac.com.ar/?p=8665

terça-feira, 19 de novembro de 2013

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Encontro de História Ambiental e debates interdisciplinares

Iniciou hoje e vai até dia 22 o encontro de História Ambiental: Debates Interdisciplinares. O evento faz parte das atividades da linha de pesquisa Poder, Sociedade e Ambiente do Programa de Pós Graduação em História da UFPE. Conforme a organização: 

" A História Ambiental é um campo de estudos interdisciplinar que interage com diversas outras áreas do conhecimento, objetivando a observação o mais completa possível do homem em seu meio ao longo do tempo. As questões ambientais serão tratadas a partir de diversas perspectivas: do Cinema, da Geografia, da Arqueologia, da Educação, da Saúde entre outros, e da História como disciplina aglutinadora desses diferentes olhares. A realização do evento possibilitará um importante intercâmbio da produção latino-americana sobre o tema e contará com pesquisadores do Panamá, do Paraguai e de outras regiões do Brasil além de Pernambuco, entre os quais: Guillermo Nills Castro Herrera, José Augusto PáduaMarcelo MartinessiMariana OlivaLourdes Lozano Centella, entre outros.  Essa iniciativa pretende traduzir a produção das diferentes áreas do saber como diferentes maneiras de dizer o que é diversamente dizível, mas também como maneiras diversas de abordagem dos mesmos problemas, estabelecendo, dessa forma, diálogos entre si em diferentes níveis de profundidade, seguindo, dessa forma, na contramão do exílio disciplinar, como parte da renovação dos saberes que, por diferentes caminhos, dão corpo a um todo diverso e ao mesmo tempo uno. Dessa forma, o evento contribuirá para a consolidação desse campo de estudos interdisciplinar e envolverá a sociedade em geral num grande encontro que possa contribuir para a consolidação das dinâmicas práticas e teóricas que dizem respeito ao homem em sua relação com seu meio". 

Para saber mais sobre o evento acesse: http://www.ufpe.br/historiambiental/index.php?option=com_content&view=article&id=306&Itemid=237