"Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo".
José Ortega y Gasset

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Atividade de lançamento da campanha Água e Óleo não combinam


Ocorreu nesta quinta feira lançamento da campanha Água e Óleo não Combinam, um projeto desenvolvido na Nova Rússia (Progresso, Blumenau) com a parceria da empresa PreserveAmbiental, Instituto Parque das Nascentes - IPAN e pelo GPHAVI. 


Foi realizada uma palestra de apresentação para a comunidade presente, destacando como deve ser feito o armazenamento do óleo, como é feito o processo de coleta do óleo, e seus fins, após a empresa recolher. O óleo de fritura coletado na Nova Rússia será revertido para combustível e usado na camioneta do IPAN para coletar na região resíduos sólidos (recicláveis) que são doados a escola da comunidade. A escola vende e utiliza os recursos para compra de materiais,  equipamentos e atividade lúdico-educativas.







Assista um trecho do lançamento:


Os bolsistas de Iniciação Científica do GPHAVI e voluntários estarão divulgando o programa com educação ambiental na comunidade. Os moradores serão informados de como devem proceder. Na comunidade haverá três pontos de coleta onde a comunidade pode depositar o óleo: na Escola, no Recanto Paraíso do Miguel, e no Recanto Silvestre. Os moradores da comunidade também poderão entregar o óleo, armazenado em pets ou demais vasilhames, ao IPAN durante a coleta de resíduos sólidos que é realizada todo mês.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí, em parceria com o Instituto Parque das Nascentes - IPAN, e a empresa Preserve Ambiental Ltda lançam na próxima quinta feira campanha "Água e óleo não combinam"

O Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí da FURB, em parceria com o Instituto Parque das Nascentes e a Empresa Preserve Ambiental Ltda,  promovem na Nova Rússia a campanha "Água e óleo não combinam". O evento de lançamento da campanha ocorrerá nesta quinta-feira, 29 de setembro, as 15 horas na Escola Margarida Freygang, na Nova Rússia.



O óleo de cozinha utilizado hoje na Nova Rússia não possui destinação adequada, o objetivo da campanha é a coleta de óleo de cozinha utilizado por moradores e estabelecimentos comerciais da Nova Rússia, contribuindo diretamente com a qualidade da água do Rio Garcia. O óleo coletado será destinado à produção de Biodiesel, produto ecologicamente correto e que não destrói a Camada de Ozônio.

O IPAN e o GPHAVI vão atuar no trabalho de educação ambiental das comunidades e estabelecimentos comerciais, que serão certificados pela empresa ambiental. A Preserve Ambiental vai coletar o óleo e produzir de Biodiesel destinado a manter a sua frota de veículos e gerar energia para a empresa. O biodisel gerado vai abastecer também o veículo da ONG (IPAN) que é utilizado atualmente para coletar resíduos sólidos na Nova Rússia, que são doados para a Escola Margarida Freygang, que revende para adquiriri materiais lúdicos e didáticos para os alunos.

A região foi escolhida para o lançamento da campanha por estar próxima do Parque Nacional Serra do Itajaí onde se encontram as nascentes do Rio Garcia importante recurso hídrico regional de onde é captada água para a ETA III que abastece os Bairros Bom Retiro, Centro, Garcia, Glória, Jardim Blumenau, Progresso, Ribeirão Fresco, Valparaíso e Vila Formosa. A idéia é iniciar a campanha na Nova Rússia e ampliar para o Bairro Progresso e região sul de Blumenau.

Saiba mais em:


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Bolsistas do GPHAVI apresentam estudos no MIPE FURB


Nesta última quarta-feira 21/09 (Dia da árvore) bolsistas do GPHAVI apresentam os resultados finais das pesquisas PIPe e PIBIC na V Mostra Integrada de Pesquisa Ensino e Extensão da Universidade Regional de Blumenau:

 Figura 1: Na foto Douglas Grubel e seu pôster sobre a Hidroelétrica em Rio dos Cedros

 Figura 2: Douglas sendo avaliado pelo representante do CNPQ prof. Norberto Dallabrida - UFSC.

 Figura 3: Apresentação da pesquisa ao avaliador.

Figura 4: Evander R. S. da Silva e seu pôster.

Figura 5: Evander apresentando a pesquisa ao avaliador


Figura 6: Feedback do avaliador

Figura 7: Bolsista Martin apresentando seu pôster
(Foto de Carlos Zimmermann)

Seguem estudos:

PIPe 2010



(resultados parciais)


PIBIC (FURB & CNPq) 2010




Os resumos dos bolsistas, e demais trabalhos apresentados no MIPE podem ser consultados nos Anais que estão disponíveis no site http://www.furb.br/mipe ou diretamente na Revista Dynamis:

sábado, 17 de setembro de 2011

História Ambiental é tema de reportagem do GLOBO UNIVERSIDADE

A linha de pesquisa interdisciplinar denominada de História Ambiental (environmental history) vem se fortalecendo na academia brasileira desde meados dos anos 1980. Hoje está presente como área de pesquisa, tema de estudo, disciplina e pós-graduação na área da História. Diversos eventos: Simpósios, Congressos, Encontros, etc, com sua denominação "História Ambiental" ocorreram nesses últimos anos, assim mesmo como ocorrem em diversos encontros regionais e o nacional da Associação Brasileira de História, efetivando e validando a área, e criando um leque de sub-temas e multiplos trabalhos interdisciplinares. Possui também grupos de pesquisadores organizados em instituições como a Associação Norte Americana de História Ambiental, a Associação Européia de História Ambiental, a Sociedade Latinoamericana e Caribenha de História Ambiental, etc. 

O Espaço do GLOBO UNIVERSIDADE lançou neste 17 de setembro reportagens sobre a prática de história ambiental nas universidades brasileiras. Assim como divulgou imagens da reportagem. Vale a pena conferir cada uma delas e assistir a reportagem (dividida em três partes):

 
        


O material em vídeo foi publicado em 3 partes: veja todas ou as partes:

Parte 01/03

Parte 02/03

Parte 03/03


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Primeiro número da revista História Ambiental Latinoamericana e Caribenha - HALAC

Publicado o primeiro número da Revista História Ambiental Latinoamericana e Caribenha, sob organização da Sociedade Latinoamericana e Caribenha de História Ambiental - SOLCHA.



No primeiro número foram publicados os seguintes artigos:


Articulos


Origen, fortalecimiento y perspectivas de la Sociedad Latinoamericana y Caribeña de Historia Ambiental (SOLCHA)

Martha Micheline Cariño Olvera, Guillermo Castro
La política forestal, el negocio de la leña y la deforestación: Minas Gerais, 1890-1950
Marcos Lobato Martins
Género, naturaleza y política: Los estudios sobre género y medio ambiente
Diana Ojeda Ojeda
Construyendo puentes entre continentes en la enseñanza de la historia ambiental: Rio de Janeiro y Vienna
Rogerio Ribeiro de Oliveira, Martin Schmid
E também as resenhas:


Loreto Pérez, Rosalva. Agua, poder y metabolismo social. Colección Estudios Urbanos y Ambientales /1. Puebla: Benemérita Autónoma de Puebla/Instituto de Ciencias Sociales y Humanidades, 2009.
Antonio Ortega Santos
Guhl, Andrés. Café y cambio de paisaje en Colombia, 1970-2005. Medellín: Fondo Editorial Universidad EAFIT, Banco de la República, 2008.
Stuart McCook
McNeill, John R; Pádua, José A. e Rangarajan, Mahesh. Environmental History: as if nature existed. New Delhi, Oxford University Press, 2010.
Lise Fernanda Sedrez
Gallini, Stefania. Una historia ambiental del café en Guatemala. La Costa Cuca entre 1830-1902. Ciudad de Guatemala: AVANCSO, 2009 (Serie Autores Invitados No. 19)
Andres Guhl

O conteúdo completo da revista e demais informações podem ser encontradas na página:
http://www.fafich.ufmg.br/halac/index.php/periodico/issue/view/1/showToc

terça-feira, 6 de setembro de 2011

História recebe 3 estrelas no Guia do Estudante da Editora Abril

Curso de História da Universidade Regional de Blumenau recebe três estrelas na avaliação do Guia do Estudante Editora Abril em 2011.
Saiba mais sobre o curso em:
http://www.furb.br/novo/index.php?option=conteudo&Itemid=1616&sis_id_lang=1

domingo, 4 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Artigo: A contribuição da história ambiental na formulação de políticas públicas para a promoção do desenvolvimento sustentável

De autoria do historiador ambiental e pesquisador Martin, o artigo, publicado na  Revista Dynamys, v.15, n.03,  trata sobre o papel da historiografia ambiental como uma "ferramenta" para a formação de agendas de politicas públicas para o desenvolvimento sustentável.



Segue resumo:

No contexto da crise ambiental a historiografia ambiental passa a produzir um conhecimento a respeito do uso da biodiversidade e pode ser usada no planejamento de políticas públicas de desenvolvimento sustentável. O objetivo deste estudo foi contribuir com o tema das políticas ambientais, discutindo o papel da historiografia ambiental como uma ferramenta para a formação de agendas de políticas públicas para o desenvolvimento sustentável. Utilizou-se como método a pesquisa e análise qualitativa de dados secundários presentes em bibliografias, periódicos e relatórios sobre as temáticas da História Ambiental, Estado e Políticas Públicas. Com os estudos da História Ambiental das regiões é possível averiguar as formas pelas quais a sociedade interagiu com a natureza, revelando a degradação e proporcionando com este conhecimento, novas medidas que evitem erros catastróficos contra o ambiente promovendo novos processos de desenvolvimento com a preocupação da sustentabilidade. Concluímos que a História Ambiental é uma necessidade enquanto ferramenta no processo de elaboração de agendas de políticas públicas que objetivem promover desenvolvimentos com a ênfase da sustentabilidade. Neste contexto, faz-se necessário à formação e a participação de historiadores ambientais para que as relações entre a natureza e a sociedade sejam compreendidas e aplicadas na elaboração e nos processos das políticas públicas.